"A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova." Léon Tolstoi

"A viagem não acaba nunca. Só os viajantes acabam. E mesmo estes podem prolongar-se em memória, em lembrança, em narrativa. Quando o visitante sentou na areia da praia e disse: “Não há mais o que ver”, saiba que não era assim. O fim de uma viagem é apenas o começo de outra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na primavera o que se vira no verão, ver de dia o que se viu de noite, com o sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava. É preciso voltar aos passos que foram dados, para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre." José Saramago

Domingo, 26 de Agosto de 2012

OMG __________ WTF _______

 

O que passou pela cabeça vazia da criatura execrável que se conhece pelo nome Margarida Rebelao Pinto, para escrever uma crónica acerca das "Gordinhas e as Outras", onde cheia de preconceitos e pobreza de espirito, tem audácia e falta de respeito e de educação de insultar as mulheres (mulheres ponto final, qual mulheres gordinhas), esta "senhora" classifica as mulheres de "gordinhas" e as "amigas mais bonitas e boazonas", como se se tratasse de seres que merecem viver e outras que são as ditas "gordinhas" nem merecem o ar que respiram.

Quando li esta crónica até me custou acreditar que viesse de tal "senhora" que tem a mania que é escritora, não que a tivesse em muito boa conta mas, porque simplesmente nunca pensei que pudesse alguém que supostamente "escreve" livros neste país, tenha a pouca vergonha de escrever o que escreveu e tornar publica a sua opinião.

Diz ela que escreve muito mentalmente  _____________ eu diria que deve ter muitos problemas intestinais que se reflectem na  mente que a torna podre.

Também é certo que é igualmente responsavel o jornal "SOL" que demonstra mais uma vez ser um LIXO Jornalístico, que publica esta crónica que o mais certo foi nem ter feito qualquer "filtragem" de tamanha estupidez.

Nem mais palavras tenho para descrever esta ignóbil criatura ______________ só me vêm palavrões à cabeça _______________________

Corre entretanto uma carta aberta dirigida a esta "senhora", cujo teor assino por baixo, acrescentando porém algumas palvras que dada a minha educação guardo para mim.

 

{#emotions_dlg.lips}{#emotions_dlg.heart}


sinto-me:

publicado por reflexoespartilhadas às 21:42
Estive a ouvir uma entrevista dela sobre o assunto e continuo a achar que a dita senhora não bate bem dos pirulitos.
Enfim...
momentosdisparatados a 28 de Agosto de 2012 às 18:47

obrigada e bem vindo/a, eu acho que ela nem um pirulito tem :))

Minha querida, «palavras leva-as o vento» era o que se dizia dantes... mas agora que fica tudo escrito, gravado e repetido vezes sem conta em todo o lado torna-se mais difícil um bocadinho ignorar as palermices que por aí se dizem e populam por todo o lado.

Um conselho: ignora...
Quanto mais se fala do assunto mais publicidade se dá a quem não merece!!
Aquariana a 4 de Setembro de 2012 às 23:35

obrigada pelo seu comentário, e tem toda a razão.
quanto mais se falar mais publicidade de dá ao nome e mais ela vende a "caca" dos livros que diz que escreve.

beijoss


"A verdadeira liberdade é um ato puramente interior, como a verdadeira solidão. Devemos aprender a sentir-nos livres até num cárcere, e a estar sozinhos até no meio da multidão" (Massimo Bontempelli)
mais sobre mim
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24

27
28
29
30


arquivos
pesquisar neste blog
 
"A mulher é uma substância tal, que, por mais que a estudes, sempre encontrarás nela alguma coisa totalmente nova." Léon Tolstoi

"A viagem não acaba nunca. Só os viajantes acabam. E mesmo estes podem prolongar-se em memória, em lembrança, em narrativa. Quando o visitante sentou na areia da praia e disse: “Não há mais o que ver”, saiba que não era assim. O fim de uma viagem é apenas o começo de outra. É preciso ver o que não foi visto, ver outra vez o que se viu já, ver na primavera o que se vira no verão, ver de dia o que se viu de noite, com o sol onde primeiramente a chuva caía, ver a seara verde, o fruto maduro, a pedra que mudou de lugar, a sombra que aqui não estava. É preciso voltar aos passos que foram dados, para repetir e para traçar caminhos novos ao lado deles. É preciso recomeçar a viagem. Sempre." José Saramago

blogs SAPO